ObservaDF: novo estudo vinculado à UnB revela a qualidade dos serviços prestados no DF

Pesquisadores concluíram que ônibus e hospitais públicos são os piores avaliados pela população.

O serviço público é caracterizado pelo trabalho prestado pelo governo às pessoas que vivem dentro de sua jurisdição. E com a finalidade de analisar a qualidade desses postos, o grupo ObservaDF, que é vinculado ao Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília, realizou um novo estudo. Esta etapa da pesquisa mostra como as pessoas avaliam os servidores e as instituições públicas nas áreas de saúde, educação, segurança pública e transporte coletivo.

Em vários momentos da nossa vida temos contato com os servidores públicos que trabalham diretamente na implementação das políticas públicas. Portanto, a fim de ter uma ideia sobre como o Estado funciona, é preciso de avaliações da população sobre a qualidade dos serviços públicos e saber qual é a cara do Estado que as pessoas veem.

Por isso, o ObservaDF realizou um dos poucos estudos existentes sobre o tema, focando na avaliação que os habitantes do Distrito Federal fazem da qualidade dos serviços prestados por burocratas de rua nas áreas de saúde, educação, mobilidade e segurança pública. Para isso, foram usados dados de pesquisa de opinião pública – uma amostra de 1000 pessoas – e o acréscimo de um grupo focal para embasar as conclusões sobre o que a população pensa sobre os serviços que recebem de agentes do Estado.

A começar pela saúde pública, o grupo analisou tanto as organizações, como Unidades Básicas de Saúde e hospitais públicos, quanto os profissionais que nestes trabalham. A avaliação dos servidores públicos – pessoas – são sempre mais positivas do que das organizações. A insatisfação quanto às UBS e principalmente hospitais é nítida, pois a maioria da população avalia negativamente essas organizações.

Já na área de educação, as avaliações positivas são sempre superiores às negativas. Escolas, creches, professores e diretores são todos igualmente bem avaliados. É interessante destacar que as comparações entre a atuação de diretores e professores nas atividades remotas e presenciais são bastante parecidas, mas sempre mais positivas no presencial.
O próximo tema abordado na pesquisa é o da mobilidade urbana. As avaliações dos ônibus são extremamente ruins, sendo que 52,8% da população os classifica como ruins – 33% desses consideram como péssimos.

Por último e não menos importante, o estudo demonstrou que existe clara diferença entre homens e mulheres nas suas percepções sobre segurança pública. As mulheres se sentem mais inseguras e têm mais medo ao andar nas ruas do que os homens entrevistados. Elas se declaram mais preocupadas em andar na rua ou no transporte público, temendo violência e roubo.

Deixar uma resposta